Terror Noturno: Confira o Que É e Como Ajudar Seu Filho

O nome assustador faz jus à cena que alguns papais e mamães enfrentam de noite no quarto dos filhos. O terror noturno é um dos principais vilões do sono dos nossos pequenos e pode dar um baita susto nos adultos de madrugada. Muito comum na infância, ele atinge desde os bebês até crianças maiores, deixando muitas famílias preocupadas por aí. A boa notícia é que ele não costuma causar problemas para o desenvolvimento da criança, que na verdade nem vai se lembrar dos choros e gritos da noite anterior. Confira mais sobre esse assunto e saiba como reagir para ajudar seu filho.

O que é o terror noturno?

Trata-se de um distúrbio do sono, que está na mesma classe do sonambulismo ou das pessoas que falam dormindo, mas causa um efeito bem mais impactante. Isso porque a criança costuma gritar, chorar muito e fazer alguns barulhos indecifráveis – tudo aparentemente sem motivo. A situação piora porque, mesmo de olhos abertos, a criança não reconhece os pais e não se acalma com afagos: um momento que, sem dúvidas não é nada fácil para a família.

Não é apenas um pesadelo

Muitas pesquisas mostram claramente que há várias diferenças entre o terror noturno e um simples pesadelo. A primeira delas é que o sonho ruim acontece em uma fase do sono chamada R.E.M, que costuma ser no fim da madrugada quando o pequeno está dormindo profundamente. Já as crises de terror noturno acontecem na primeira parte da noite, um pouco mais de duas horas depois que a criança foi deitar. Outra diferença é que, no pesadelo, a criança costuma se lembrar o que sonhou e pode até desenvolver o medo de ir para a cama, mas com o terror noturno acontece o contrário: no dia seguinte, os pequenos não vão nem saber o que aconteceu.

O que os pais devem fazer na hora da crise?

É difícil se controlar ao ver a criança gritando e se debatendo, mas apesar de toda essa situação extrema, o que os papais precisam ter em mente é que aquilo não vai causar nenhum mal para a saúde física ou mental da criança: ela simplesmente não vai se lembrar do que aconteceu. O melhor é não tentar acordar a criança, medida que só vai fazer as crises serem mais fortes e mais frequentes, e esperar passar. Preste atenção apenas na segurança do pequeno, se ele não vai se machucar batendo em alguma coisa, e tente relaxar – depois de alguns minutos a criança vai se acalmar sozinha e voltará a dormir. Infelizmente, o terror noturno é um distúrbio ainda sem cura, mas costuma passar quando chega a adolescência ou até antes disso.

Saiba o que pode ser feito para evitar as crises

Cuidar da rotina de sono da criança é uma forma de evitar as crises de terror noturno. Quanto mais descansado o seu pequeno estiver, menos probabilidade ele vai ter de desencadear o problema à noite. Para isso, vale levar o pequeno para a cama mais cedo, deixar ele acordar um pouco mais tarde ou prolongar um pouco mais a soneca da tarde.

Outra boa ideia é fazer sempre uma rotina de relaxamento com o seu filho antes de dormir, principalmente nos dias em que ele teve uma programação muito agitada: crianças que vão dormir depois de um dia correndo no parque ou nadando na praia estão mais sujeitas ao problema.

Deixe Seu Comentário